.posts recentes

. O Irmão do loucura Londri...

. ...

. O penteado da nova estaçã...

. O gajo vestido à labrego

. Música ao acaso

. Pedido de ajuda para desc...

. Experimentando gadgets

. ti. ti. ti. ti. ti. ti. t...

. Três quilos e meio baralh...

. Como os rumores mudam a m...

. Post sobre cuecas II

. As minhas cuecas

. Momento estranho da seman...

. 110 minutos de sono profu...

. Ainda não morri... ...

.arquivos

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

.Posts mais comentados

Sexta-feira, 15 de Maio de 2009

Parque de diversão... só para alguns

 

 

Ao pé da minha casa há um parque infantil gigante.

Daqueles que têm montes de mobiliário de brincadeiras.

Para além disso tem montes de espaço verde com relva.

É o lugar ideal para uma criança passar bons momentos de lazer.

Os infantários da zona já se aperceberam disso e levam para lá algumas crianças.

Mas o engraçado da situação é a técnica que eles utilizam para marcar as crianças.

E marcar é mesmo a palavra certa.

Cada infantário veste as suas crianças com coletes reflectores.

Daqueles obrigatórios de vestir se sairmos do carro à noite.

Ora há o infantário dos coletes amarelos, o dos laranja e o dos azuis.

E como as crianças são aventureiras e não andam em grupinhos, é bonito de se ver aquele colorido.

Crianças laranjas a brincar com azuis e as amarelas a ver.

Ou vice versa, claro.

A técnica foi adoptada, acho, para que na hora de levarem as crianças embora as educadoras não estivessem com dúvidas sobre quais seriam as suas crianças:

É que poderiam perder montes de tempo:

 

- Esta é tua ou minha?

- Huuuuuum, se queres que te diga, não sei.

- Eu também acho que nunca a vi na minha sala.

- Eu é que não.

- O que fazemos então?

- Leva-a tu e dás-me o teu número de telemóvel. Se os pais dela vieram ao meu infantário eu ligo-te e mando-os irem buscá-la ao teu.

- Acho uma boa ideia.

- E já agora peço-lhes para eles te levarem aquela revista que conta ao pormeno.

- Ah, boa ideia. Hoje estás mesmo cheia de grandes ideias…

- Este ar fresco dá-me juventude…

 

É perfeitamente aceitável uma solução como a dos coletes para evitar situações destas.

O que elas não sabem, e eu sei porque tenho fontes espectacularmente baixas [as próprias crianças] é que os miúdos andam a preparar um complô.

O plano passa por todas as crianças trocarem o colete com outra.

Segundo os baixinhos, a ideia é obrigarem as educadoras que lêem revistas cor-de-rosa a deixarem de o fazer e passarem a dar-lhes mais atenção.

Isto porque, segundo eles, a ideia de as levarem para o parque foi a de terem menos trabalho a cuidarem deles.

Bem visto…

 


publicado por Peter WouldDo às 00:04

link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Liz a 15 de Maio de 2009 às 14:56
Os seres baixinhos sao seres iluminados :)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags