.posts recentes

. O Irmão do loucura Londri...

. ...

. O penteado da nova estaçã...

. O gajo vestido à labrego

. Música ao acaso

. Pedido de ajuda para desc...

. Experimentando gadgets

. ti. ti. ti. ti. ti. ti. t...

. Três quilos e meio baralh...

. Como os rumores mudam a m...

. Post sobre cuecas II

. As minhas cuecas

. Momento estranho da seman...

. 110 minutos de sono profu...

. Ainda não morri... ...

.arquivos

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

.Posts mais comentados

Sexta-feira, 3 de Julho de 2009

O mindinho opositor

 

Jamais esquecerei a aula de história em que o professor me mandou pegar num livro.

Depois de o fazer, o “terrível” (alcunha pela qual era conhecido o professor) mostrou a principal diferença entre o homem e os restantes animais: o polegar opositor.

Desde que comecei a utilizar o metro de Londres que estou constantemente a lembrar-me desta aula.

Muitos de vocês já devem estar a questionar-se porquê.

E dou desde já a explicação.

Pois não quero fazer suspense com uma explicação tão simples.

Que pode ser dada em poucas linhas e caracteres.

Se bem que agora tenha de ir à casa de banho.

Já volto.

(…)

Já regressei.

Pois então a razão pela qual me lembro constantemente desta aula no metro é porque os ingleses não têm apenas um polegar opositor mas também um dedo mindinho opositor.

Eles acabaram por desenvolver este mindinho opositor para equilibrar os livros que lêem no metro.

Desta forma conseguem segurar um livro só com uma mão e usarem a outra para se segurarem ao varão.

Isto quando vão de pé, claro.

Porque quando vão sentados usam a outra mão para tirar ranhetas do nariz.

Uma mutação originada pelos milhões de livros lidos pelos ingleses no metro.

A espécie deles foi evoluindo (como mostrou o próprio Darwin, um deles) e o dedo mindinho da mão esquerda acabou separado dos restantes três dedos centrais.

Como devo ter sido o primeiro humano a detectar isto, estou a pensar em escrever um artigo para uma revista científica.

Certamente que ficará bem no meu CV, ao lado do prémio da 4ª classe e dos quatro meses de experiência como condutor de empilhadores.

Tenho de reconhecer que eles próprios me inspiraram a tornar-me num leitor de livros no metro.

Como já tinha escrito, estou actualmente a ler o Rio das Flores.

E um livro daquele tamanho jamais caberia entre os dedos de uma só mão.

Mas como sou surfista, posso usar as duas para segurar no livro quando vou de pé.

Para quem não percebeu patavina do que acabei de escrever, aqui ficam os desenhos descomplicadores.

 

 

PS: o livro obviamente que não é o Rio das Flores.

tags: , , ,

publicado por Peter WouldDo às 00:04

link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De sandra c a 3 de Julho de 2009 às 10:40
o rio das flores ainda te partia a mão pah!


De Silvia a 5 de Julho de 2009 às 07:46
Hahaha, nunca reparei nisso....de um modo geral vou a ler :))


De Azulana a 14 de Julho de 2009 às 19:15
Epa!!!! Fui eu que baptizei esse prof de "terrível"....
Deixa relatar... Eu entro na sala atrasada, justo na 1ª aula (logo eu a última, a mais atrasada!!!) e no momento exacto em que ele proclamava " EU SOU TERRÍVEL", com os tremendos olhos azuis arregalados... engoli em seco e deslizei para o meu lugar, a pensar (tou lixada com um F grande)... qualquer semelhança com o Hitler era pura imaginação, já que acabou por ser um dos meus profs favoritos (apesar dos posteriores rumores que ouvi). Foi meu prof por 2 anos, 8º e 9º. Bons tempos!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags