.posts recentes

. O Irmão do loucura Londri...

. ...

. O penteado da nova estaçã...

. O gajo vestido à labrego

. Música ao acaso

. Pedido de ajuda para desc...

. Experimentando gadgets

. ti. ti. ti. ti. ti. ti. t...

. Três quilos e meio baralh...

. Como os rumores mudam a m...

. Post sobre cuecas II

. As minhas cuecas

. Momento estranho da seman...

. 110 minutos de sono profu...

. Ainda não morri... ...

.arquivos

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

.Posts mais comentados

Terça-feira, 19 de Janeiro de 2010

O sofrimento de comprar calças... Ou jeans. Tanto faz.

 

Estou no intervalo mais ingrato do peso de uma pessoa.

Naquela largura de cintura em que um buraco do cinto é demasiado apertado e o seguinte demasiado largo.

Num pareço que não consigo respirar e depois das refeições sou obrigado a ceder ao seguinte.

Mas esse, o seguinte e mais lago é onde a “fralda” fica de fora, e me lava a apanhar frio na cintura.

A lógica, pensam vocês, é usar um daqueles cintos sem buracos em que podemos apertar em qualquer local.

Mas também esses têm problemas logísticos.

Ou porque a alça seguinte onde ficará segura a ponta está demasiado longe e por consequência andamos com a ponta caída.

Ou porque até há alças próximas e o cinto quase dá duas voltas.

Sem referir que neste último caso pareço um betinho arranjado pela mãe antes de sair de casa.

 

Numa recente visita à Pull Bear dei comigo a não saber a medida de calças no tamanho europeu.

Só sei que gasto o tamanho 32 britânico.

Nem o facto de trabalhar numa empresa de moda e de saber algumas equivalências, como no calçado.

Tive de perguntar a uma funcionária.

Depois de saber que gastava tamanho 40 na Europa (prefiro a Inglaterra onde só gasto 32), descobri que no final dos saldos só os mais “abastados” (rica maneira de me referir aos gordos) têm por onde escolher.

Reconheço que isso não é, no entanto, desculpa para ter experimentado seis pares de calças e não ter comprado nenhum.

Na verdade, eu e um amigo fomos fazer uma sessão de compras em saldos e eu acabei por levar para casa… um guarda-chuva… por quatro libras. Menos de cinco euros.

 

Perante tamanha dificuldade em usar e escolher calças quase me rendi ao novo estilo de não usar cinto e andar com a cintura das calças nas coxas.

Não só me pouparia ao sofrimento de escolher o buraco certo para o cinto.

Como poderia aproveitar melhor os saldos comprando tamanhos bem largos.

Por outro lado, teria de me preocupar mais com o estilo dos boxers/cuecas.

Huuuuuum, acho que é melhor continuar assim…


publicado por Peter WouldDo às 00:04

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags