.posts recentes

. O Irmão do loucura Londri...

. ...

. O penteado da nova estaçã...

. O gajo vestido à labrego

. Música ao acaso

. Pedido de ajuda para desc...

. Experimentando gadgets

. ti. ti. ti. ti. ti. ti. t...

. Três quilos e meio baralh...

. Como os rumores mudam a m...

. Post sobre cuecas II

. As minhas cuecas

. Momento estranho da seman...

. 110 minutos de sono profu...

. Ainda não morri... ...

.arquivos

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

.Posts mais comentados

Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

Momento estranho da semana

 

Estar na casa de banho do emprego a fazer o serviço mais longo possível de fazer naquele espaço.

Fazer a descarga e descobrir que não foi tudo com a água.

Ao mesmo tempo alguém tenta abrir a porta.

Ficando depois à espera que saíamos para poder entrar.

São segundos longos aqueles durante os quais a descarga enche.

Nunca sabemos se a água que já está no depósito é suficiente para na segunda descarga levar o que ficou na sanita.

E então esperamos mais uns segundos.

Por mais centilitros de água.

“E se não for tudo desta vez”, pensamos.

“Quais as consequências?”

E o nosso colega de trabalho lá fora à espera para se servir da casa de banho.

“E se é a boazona que trabalha no Marketing que está do outro lado da porta.

O que pensará de mim… e do meu cag….?”

E o depósito que nunca mais está cheio.

Sabemos pelo barulho que ainda faz a encher.

Entretanto ligamos a água da torneira para lavar as mãos.

E fazemos questão que a pessoa que espera lá fora ouça o barulho para saber que lavamos as mãos depois do serviço.

Aliás, tentamos com o barulho de lavar as mãos ocultar a segunda descarga na sanita.

Mas o mais certo é que não resulte.

Antes de sairmos, uma última espreitadela só para confirmar que à segunda foi tudo.

Huuuuum.

Ficou suja.

Deixa meter a escova ali dentro para não deixar vestígios.

De seguida mão no puxador da porta.

(como a escova habitualmente é usada por outros antes da lavagem das mãos, já as nossas estão cheias de micróbios)

E abrimos a porta.

Não, não é a loira do Marketing que espera.

Mas o nosso chefe.


publicado por Peter WouldDo às 00:04

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags