.posts recentes

. A minha vida a nu

. Ofertas de emprego - Job ...

. Fim-de-semana empolgante

. Porque eu sabia que os bo...

. Ser pago para aplaudir e ...

. Huuuuuum, parece-me que e...

. Ainda o trabalho...

. É preciso um trabalho

.arquivos

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

free website hit counters
Get a free website hit counter here.

.Posts mais comentados


Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

A minha vida a nu

 

 

Como surgem algumas perguntas, resolvi dar mais detalhes sobre a minha vida profissional e financeira em Londres.

Por outras palavras: como sobrevivo eu.

Assim podem ficar com uma ideia mais próxima de como se safa um tuga em Londres.

 

O meu actual emprego é como controlador de stock, na empresa Matches Fashion.

Uma empresa com 14 lojas espalhadas por Londres, e com venda na página da internet.

É nas vendas online que incide mais o meu trabalho, pela segunda vez depois de ter feito quase a mesma coisa no Harrods.

Tenho um salário mensal a rondar as mil libras líquidas.

É o maior salário que já tive na Inglaterra, tirando quando era condutor de empilhadores, em que cheguei a ganhar 325 libras por semana.

No entanto, trabalhava à noite, enquanto agora tenho um horário das 9 às 17.

Agora gastos.

E era um trabalho muito mais duro do que o actual, em que até tenho um computador só ara mim e onde posso escrever textos como este…

 

Por mês, para a renda e despesas como água, electricidade, impostos para a câmara municipal, gás e internet gasto cerca de 380 libras.

Para o passe de transportes são 130 libras por mes.

Cá em casa fazemos despesas de alimentação juntos, e para isso gasto uma média de 100 libras por mes.

Acabo por gastar mais com a alimentação, para o almoço e outras coisas que compro numa média que rondará as 50 libras.

Estas despesas somadas rondam as 660 libras.

Tenho vindo a fazer uma média de um curso por mês, durante um sábado inteiro, que me custa 85 libras (745).

Posso dizer que acabaria com um saldo positivo mensal de 255 libras, caso não comprasse roupa, DVDs, livros e outras coisas a que uma sociedade capitalista nos “obriga”.

Recordo que cá se quero fazer férias tenho de recorrer apenas s poupanças, já que não há subsídio de férias.

Nem de Natal, para as prendas…

 

De momento, por exemplo, estou consciencializado que até Setembro gastarei 1000 libras para me inscrever em três cursos, que vão durar até Março.

Ou seja, começo a ver a semana de férias de que tanto precisava mais distante.

 


publicado por Peter WouldDo às 00:04

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 13 de Julho de 2009

Ofertas de emprego - Job offers

 

Para os interessados, a empresa onde trabalho tem abertas as seguintes vagas:

 

3 x Assistant Manager

 
Junior Web Developer
 
Junior Graphic Designer
 
Sales Consultants

 

Se alguém estiver interessado, pode contactar-me.

Recordo que é necessário um nível de inglês médio .


publicado por Peter WouldDo às 15:02

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Segunda-feira, 27 de Abril de 2009

Fim-de-semana empolgante

 

E qual é a terceira coisa melhor do mundo depois do sexo e de uma noite a empanturrar de chocolate?

Uma tarde de domingo com barbecue ao sol quente (raríssimo) da Inglaterra.

E quem é o rei do barbecue cá da casa, quem é?

Certo: EU!

Pronto, já sabem como passei a minha tarde de domingo.

A tarde começou calmíssima, com o visionamento de cinco episódios da série The Twilight Zone a preto e branco (não sei se se lembram) e acabou com um jogo de bola no nosso quintal de 25 metros quadrados.

Pelo tamanho já dá para perceber a confusão que era.

Em jogo estava eu, o J, o Xochas e o Marco Paulo em Início de Carreira (MPIC).

A bola foi parar ao quintal dos vizinhos pelo menos meia dúzia de vezes, mas regressou sempre ao campo de jogo.

O frango, como já tinha dito, ficou óptimo e as salsichas portuguesas ficaram melhor que as salsichas polacas.

Já a tentativa de assar hambúrgueres saiu furada, porque eles colaram na grelha.

Não foi culpa minha, apenas da grelha, claro.

Porque o melhor “barbecuer” cá da casa não ia cometer esse erro.

 

A nível profissional, o teste de sexta na pastelaria correu muito bem, e vou ser contratado.

Como esta semana ainda tenho uns dias de trabalho como jardineiro/trolha noutra casa, começo apenas na quinta-feira.

O que faz com que hoje já não vá à entrevista da marca do M amarelo.

Fica para um futuro mais distante.

Ainda há uma ligeira hipótese de ir para o emprego de Notting Hill, mas apenas muita ligeira.

 

Ficam, por isso, as coisas mais estabilizadas, mas não deve ser por muito.

Porque apesar de este emprego ser permanente, o salário será o mais baixo desde que vim para a Inglaterra.

Só a primeira folha de pagamento servirá para tirar ilações.

Mas sempre é melhor que nada…

 

No sábado voltei a ter outro curso de guionismo.

E cuidado que este moço aqui está a começar a criar furor…

Mais novidades a este respeito em breve.

 

 

PS: Desculpem lá o ego tão grande que tenho neste post, mas faz bem de vez em quando…

sinto-me:

publicado por Peter WouldDo às 00:04

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Terça-feira, 28 de Outubro de 2008

Porque eu sabia que os bons dias viriam...

Hoje, terça-feira, comecei no novíssimo emprego.

É que a vida é mesmo assim.

Numa altura andamos lixados para arranjar um trabalho, e quando nos aprecebemos temos dois.

Foi o meu caso. Tinha eu trabalhado alguns dias na EUK quando veio a resposta de uma entrevista que tinha feito há duas semanas atrás.

A mesma entrevista em que pediam para evar fato, e eu levei casaca de pele... castanha.

 

Hoje, entrei pela primeira vez nos armazéns Harrods... e para trabalhar.

Devo ser das poucas pessoas no mundo que na primeira vez que entrou naquele lugar fantástico o fez para trabalhar.

Mais uma vez não me livro dos armazéns.

É que também ali vou trabalhar nessa secção.

Mas acho que o chefe foi com a minha cara.

Primeiro, lembrava-se da minha entrevista (e sei que foram algumas) porque disse:

- Oh, You!

Segundo, porque de entre as funções possíveis da secção me deu a melhor.

Enquanto que outro que também começou hoje vai empacotar coisas compradas pela internet para serem enviadas, eu vou buscá-las.

Enquanto ele fica oito horas fechado na cave, eu vou ter a oportunidade de andar a recolher encomendas por todas as secções do Harrods, o que me permitirá conhecer aquele mundo fantástico e um monte de pessoas que lá trabalha.

 

Só no regresso a casa, sentado no Metro, me apercebi de como a minha vida mudou nos últimos meses.

Ainda há cerca de meio ano, estava eu deitado a ver televisão, sozinho num T3 em plena cidade de Mirandela, quando decidi que queria mudar de vida.

Resolvi que queria ir para Londres.

Hoje, estou a escrever este post, depois de um dia de trabalho no Harrods, sozinho apenas num quarto, em plena Londres.

 

O sonho está realizado...

sinto-me:

publicado por Peter WouldDo às 23:19

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Sexta-feira, 5 de Setembro de 2008

Ser pago para aplaudir e rir...

Uma das experiências que sempre me fascinou foi a de assistir às gravações de programas de televisão.

Aqueles em que há uma plateia sempre pronta a aplaudir e rir, mesmo que as piadas sejam fraquinhas....

Há uns anos atrás, andava eu ainda a estudar, tive a aoportunidade de participar no Preço Certo em Euros.

Convenci uns amigos a fazer o mesmo e lá fomos nós com destin o a Lisboa, num comboio, a meio da noite, com poucas horas de sono, depois de uma noite de copos.

Como forma de pagamento da nossa participação ofereceram-nos o almoço: duas sandes e um somo.

Mas o mais caricato foi termos descoberto, já durante as gravações que duraram a tarde toda (gravamos três programas) que para preencher os lugares da plateia vagos havia uma empresa a contratar gente por 50 euros a tarde.

Ou seja, nós tínhamos recebido duas sandes e um sumo e eles 50 euros.

Interessante.

 

Há dias lembrei-me se com tantos canais e programas de televisão este não seria um emprego rentável para ter em Londres.

Comecei a pesquisa... e descobri que cá na Inglaterra as pessoas são mais participativas nos programas e por isso não há necessidade de pagar.

Há mesmo programas da BBC (o da imagem Top Gear sobre carros) em que a lista de espera chega a rondar os dois a três anos!!!!

E assim acabou uma carreira que não chegou a começar...

sinto-me: quase de férias...

publicado por Peter WouldDo às 18:07

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

Huuuuuum, parece-me que estava certo

Ontem, domingo, respondi via internet a 22 ofertas de emprego.

Para alem disso imprimi cinco copias do meu CV para entregar em algumas das mais de uma dezena de agencias de recrutamento que ha ca em Rugby.

Mas o mais curioso e que ha cerca de uma hora atras ja recebi um telefonema por causa de um dos 22 empregos a que respondi.

Ou seja, a minha teoria de que estando ca iria ter mais hipoteses de ser considerado estava certa.

Ja reenviei uma aplication form que me enviaram, mas o que mais me satisfez foi a conversa fluente que consegui ter em ingles.

Estas duas semanas ca ja tornaram o meu ingles mais fluente.

 

Tendo Rugby cerca de 60 mil habitantes (cerca de oito mil a mais que Guimaraes), acho curioso que haja tantas agencias de recrutamento.

La na minha cidade natal havera duas ou tres.

E uma prova de como o mercado de trabalho ca esta muito mais desenvolvido que por terras lusas.

 

sinto-me: Entusiasmado
música: Sigur Ros

publicado por Peter WouldDo às 15:12

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Terça-feira, 15 de Abril de 2008

Ainda o trabalho...

Já tenho prevista uma passagem pela agência do Porto, mas mesmo assim continuo à procura de outros trabalhos que fosso fazer em Londres.

E em conversa com uma amiga descobri que a Ryanair anda a recrutar assistentes de bordo, com entrevistas no Porto.
Fui à procura de mais informação e lá me consegui inscrever.
Mas há algo aqui que não bate certo...

Para se poder ser assistente de bordo da Ryanair é necessário (como seria de esperar) fazer um curso.

Que tem o custo peculiar de 1700 euros.
Logo aqui começa a desconfiança, que aumenta com a facilidade que parece haver para entrar nesse curso.
Desconfiado, fui à procura de mais informações em foruns internacionais, o que encontrei nesta página.
Lá falam sobretudo de um documentário que terá passado no Channel 4 inglês, e onde é desmascarada uma alegada falta de segurança nos aviões da Ryanair e alegada falta de condições e baixos salários dos funcionários.

A desconfiança aumentou.
Depois encontrei esta página em português, e a desconfiança atingiu proporções inimagináveis.
Mas,e quem me conhece sabe disso, sou daqueles que gosta de ver para crer, e por isso pelo menos vou à entrevista.

Cheio de perguntas...
Dia 23 (quarta-feira) num Hotel no Porto.

Em inglês.
Já me estou a preparar vendo o Dr. House sem as legendas em português.


publicado por Peter WouldDo às 18:13

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 12 de Abril de 2008

É preciso um trabalho

Mapas na mão, o objectivo agora é arranjar emprego, o que se prevê difícil, estando eu cá.

Antes mesmo de ter decidido ir para Londres, já tinha respondido a anúncios de emprego para a Inglaterra e Irlanda, que pediam falantes de português.

As respostas foram poucas, sobretudo dizendo que precisavam de pessoas prontas a começar.

Que estivessem já a viver no Reino unido.

Ou seja, estar longe complica tudo.

Estando lá a viver penso que tudo será mais fácil.

Em especial porque estou disponível a fazer qualquer coisa.

Sei que me vou meter numa aventura, mas vou tentar planear a minha ida para Londres o melhor possível.

E como tal já andei a pesquisar agências de emprego portuguesas com ofertas de trabalho para a capital inglesa.

Uma desilusão.

Só ofertas para a construção civil ou apanha de morangos.

E “trolha” era das poucas coisas que não constava nos meus planos.

Há dias, e depois de consultar alguns blogs e páginas de portugueses em Londres lá descobri a Cubislabor.

Uma agência do Porto que me tinha escapado na primeira pesquisa.

Têm duas ofertas para Londres.

Uma de empregado de mesa, outra para assistente de manager.

Vou responder.

Veremos o que dá.


publicado por Peter WouldDo às 18:34

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.mais sobre mim

.Recomenda-se

Best Ecigs in Brentwood, Essex, UK

.pesquisar

 

.Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags