.posts recentes

. O Sonho

. O programa de rádio que f...

. Neve - sorte ou azar?

.arquivos

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

free website hit counters
Get a free website hit counter here.

.Posts mais comentados

4 comentários
2 comentários

Quarta-feira, 4 de Novembro de 2009

O Sonho

 

Nunca tinha levado tão a sério um sonho como estou a levar este de um dia ser guionista.
Jamais tinha lido tantos livros, revistas e artigos sobre guionismo.
As idas ao cinema nunca foram tão frequentes.
Até os apelativos sudokus no metro tenho substituído pela audição de podcasts sobre a arte de escrever para cinema e televisão.
Os cursos só aqui os descobri.
E as teclas deste computador onde agora escrevo não tiveram tanto uso como ultimamente.
Agora sei o que é isto de levar um sonho a sério.
Mas também começo a sentir pela primeira vez o verdadeiro medo de falhar.
Já falhei muitas vezes os objectivos estabelecidos a priori.
Mas nunca os procurei como agora.
E fui logo escolher uma profissão que por muitos cursos que tire, por mais leituras de livros que faça, ligações à indústria que tenha, se aquilo que escrever não tiver qualidade não chegarei onde quero.
Não há bons currículos não carreira de guionista.
Apenas bons guiões.
E se o que eu escrevo não for suficientemente bom?
E se…
Começa a chegar a hora de pôr à prova as minhas qualidades.
Ou a falta delas.
De saber se faz sentido percorrer este caminho que estou a percorrer, deixando tanta coisa para trás, como família, amigos e outros sonhos não tão grandes como este.
Mas se não acreditasse em mim próprio da forma que acredito, jamais teria deixado um emprego seguro e rumado a uma cidade que ainda hoje me mete medo.
Talvez tenha chegado momento de ter um grande falhanço.
Pois quase sempre que arrisquei profissionalmente não me saí mal.
(a inclusão do profissionalmente não é acaso)
Mas se me sair bem desta loucura londrina, quero voar por aí fora.
Não cometer a mesma loucura que Ícaro, mas chegar mais perto do sol.
Também faz frio cá por Londres…

publicado por Peter WouldDo às 00:04

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Terça-feira, 16 de Junho de 2009

O programa de rádio que foi

O programa que o meu Blog deu na Comercial

teve tanto sucesso que foi directo ao arquivo...

Quem se salvou de o ter ouvido mas mesmo assim quer saber como sofreu quem ouviu, pode seguir o link clicando na imagem.

A produção deste blog não se responsabiliza por quaisquer danos causados pelos textos reproduzidos.

Também informamos que já houve gente a ser internada em hospícios por ouvir coisas menos desagradáveis que os quase 60 minutos deste programa, que ainda por cima não tem imagens.

Pelo menos há umas musiquitas pelo meio.

Os Outlandish, por exemplo.

A famosíssima banda da Dinamarca constituída por um marroquino, um hondurenho e um paquistanês...

E que cantam uma música com a linda passagem "...Pessoas, Pessoas, Pessoas..."

O que se safa da página de arquivo do programa ainda é o link para este mesmo blog.

Apesar de tudo,

OBRIGADO COMERCIAL.


publicado por Peter WouldDo às 00:05

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009

Neve - sorte ou azar?

Não faz sentido, de facto, este blog chamar-se Loucura Londrina e não fazer qualquer alusão ao nevão caído durante domingo e segunda-feira.

Acreditem que foi uma verdadeira loucura londrina.

Que durou, durou, durou, quase toda a semana.

Bem o estilo britânico.

Por isso, aqui ficam três post sobre o assunto.

Para compensar a ausência dos últimos dias.

 

O que no domingo à tarde parecia pólen vindo das árvores, transformou-se à noite num espectáculo de se ver.

“Tão giro”, disse eu, acrescentando logo de seguida: “Estava a ver que não via neve, depois de ter nevado na minha rua em Portugal”.

Na manhã seguinte (segunda) acordo às cinco da manhã.

Uma hora depois abro a porta da rua e a primeira passada acaba cerca de 10 centímetros abaixo do nível da neve.

“Huuuuuuum, assim vou ficar com os pés molhados. Vou buscar um par de meia suplementar”.

Lembrei-me ainda de um conselho que já me tinham dado: colocar um saco plástico em cada pé.

Assim fiz e resultou na plenitude Tinha chegado à estação com os pés enxutos.

Poiucos minutos depois o maior azar do dia.

Chega um metro. (Mais tarde vim a saber que foi um dos poucos da manhã).

Porquê azar, pergutam.

Azar porque trabalhei das sete às 16, como um dia normal.

Mas quem ficou em casa (cerca de dois terços dos funcionários do Harrods) acabou por ser pago da mesma forma que eu.

Para compensar quem trabalhou, ficamos a saber que nos vão dar um dia de folga à escolha.

- “Huuuum, escolho a passada segunda-feira”.

- “Ah, esse dia não pode ser porque já passou!”, dizem-me.

- “Pois é. Xiça, se sabia tinha ficado a dormir. Para a próxima faço como os outros…”

 

E na verdade, não tenho dúvidas que com estas decisões, da próxima vez, uma grande parte do terço das pessoas que foram trabalhar não o fará.

sinto-me:

publicado por Peter WouldDo às 22:23

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.mais sobre mim

.Recomenda-se

Best Ecigs in Brentwood, Essex, UK

.pesquisar

 

.Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.tags

. todas as tags